sexta-feira, 21 de julho de 2017

Cautela com o uso de adoçantes artificiais!

Os autores de um novo estudo que analisou se o consumo de adoçantes artificiais está associado a efeitos negativos, a longo prazo, no peso, doenças cardíacas e outras doenças, alertaram ser necessário ter cautela até que os riscos e benefícios  com o uso a longo prazo desses produtos estejam plenamente caracterizados.

No estudo, publicado no CMAJ (Canadian Medical Association Journal) , os autores conduziram uma revisão sistemática de 37 estudos que acompanharam 400.000 pessoas durante 10 anos em média. Sete desses estudos foram estudos clínicos controlados randomizados (randomised controlled trials, RCTs) envolvendo 1.003 pessoas.

Evidências dos RCTs não apoiavam claramente os pretensos benefícios de adoçantes não nutritivos no controle de peso. Além disso, dados observacionais sugeriram que o consumo rotineiro de adoçantes pode estar associado ao aumento a longo prazo do Índice de Massa corporal  (IMC) e a um risco elevado de doenças cardiometabólicas. Contudo, os autores lembraram que estas associações ainda não foram confirmadas em estudos experimentais.

A autora principal do estudo, Dra. Meghan Azad, disse que "tendo em vista o uso disseminado e crescente de adoçantes artificiais e a actual epidemia de obesidade e doenças correlatas, são necessárias mais pesquisas para determinar os riscos e benefícios de longo prazo [da utilização] desses produtos". "É necessário ter cautela até que os efeitos de longo prazo dos adoçantes artificiais na saúde estejam plenamente caracterizados", acrescentou a Dra. Azad.